Controle de erosão e Proteção de Taludes de Usina Hidrelétrica

Da TDM Brasil – Aproveitando o potencial hidrelétrico do Rio Verde, nos municípios de Água Clara e Ribas do Rio Pardo (Mato Grosso do Sul), a Usina Hidrelétrica São Domingos conta com uma capacidade instalada de 48 MW. O projeto executivo do empreendimento incluía uma barragem de 32 metros de altura, que forma um reservatório com área de aproximadamente 18,3 km² e volume de 131 milhões de m³ e um canal de adução de 400 metros de comprimento por 6 metros de profundidade, todo revestido em geomembrana PEAD.

Problema – A barragem foi construída usando solo areno siltoso compactado e posteriormente impermeabilizada com geomembrana PEAD texturizada. A geomembrana no projeto original era coberta por um geotêxtil de 300gr/m² e enrocamento como proteção principalmente contra o impacto de ondas.

Além de não possuir material para enrocamento disponível na região, era obvio que a rocha lançada sobre a manta PEAD iria perfurá-la e que o geotêxtil pouco ou nada poderia fazer para evitá-lo. O grande desafio era encontrar uma alternativa viável para a proteção da geomembrana, que garantisse a sua integridade e por consequência, que assegure a vida útil da barragem.

Solução – A equipe de engenheiros do Consórcio Construtor São Domingos (CCSD) analisou alternativas que iam desde uma laje reforçada até bolsas sintéticas preenchidas com solo-cimento, sem conseguir encaixar a nova proteção mecânica dentro da verba disponível para essa atividade. Foi nesse contexto que os especialistas da TDM Brasil, que se encontravam instalando geomembrana para o mesmo consorcio, sugeriram o uso de geocélulas de PEAD preenchidas com concreto.

O departamento técnico da empresa propôs uma cobertura com geocélulas de 7,5cm de altura preenchidas com concreto de 20 Mpa de resistência à compressão. A cobertura seria fixada na mesma vala de ancoragem escavada para a geomembrana usando cintas de poliéster de 9,3kN/m de resistência à tração. Após a proposta com geocélulas de PEAD ser submetida à análise do CCSD e fiscalização, comprovou-se que geravam mais de 21% de redução de custos se comparadas com a solução de sacos preenchidos de solo cimento, que até esse momento era a alternativa mais econômica encontrada.

O projeto foi um sucesso, a rápida instalação do sistema compensou o atraso no cronograma gerado pela busca da nova proteção e totalizou mais de 29.600 m² de geocélula instalada. Nos próximos 30 anos, o estado e os municípios da área receberão uma compensação financeira de R$ 47,7 milhões pela utilização dos recursos do Rio Verde.

Benefícios do Sistema

  • Proteção que não compromete a integridade física da impermeabilização.
  • Instalação manual, simples e rápida.
  • Adequa-se à topografia do terreno.
  • Mantem o concreto fixo no talude sem escorregamentos.
  • Elimina o uso de aço de reforço.
  • Não se degrada com o tempo nem apresenta problemas de corrosão.
  • Reduz o impacto em jazidas ao elimina o uso de enrocamento.
  • Reduz a emissão de CO2 diretamente proporcional à redução de transporte de material pétreo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.