Análise de Estabilidade de Aterro sobre Solo Mole com Geossintéticos

Perfil do solo adotado para análise de estabilidade e recalque

Perfil do solo adotado para análise de estabilidade e recalque

A mestre em Infraestrutura e Geotecnia pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) Narayana Saniele Massocco levou ao GeoCentro 2017 uma “Análise de Estabilidade de um Aterro sobre Solo Mole com uso de Geogrelhas, Geodrenos e Bermas”, na qual avalia a estabilidade de um aterro sobre um trecho de solo mole e, a partir disto indicar medidas para o aumento do fator de segurança do aterro sobre o qual será construído uma rodovia, e, propor melhorias nas condições do solo. Com os dados de resistência de um perfil foi possível verificar o fator de segurança através do software Slide.

Utilizando-se os dados de um solo, com perfil predominantemente argiloso e de uma resistência não drenada ao longo da profundidade, foi possível analisá-lo em termos de estabilidade e recalque. O aterro em questão, apresentou um fator de segurança abaixo do permitido em Norma, ou seja o solo necessitava de recursos que aumentassem a capacidade de resistência. Por meio da solução adotada, a qual utilizou geogrelhas e bermas de equilíbrio, foi suficiente para chegar a um fator de segurança de 1,4.

Distribuição triangular da malha dos geodrenos

Distribuição triangular da malha dos geodrenos

Porém, apesar da Norma estabelecer que o fator de segurança deva ser maior que 1,5, o valor encontrado é aceitável se a implantação desta obra não for em área urbana, além disso uma investigação precisa da composição e resistência das camadas, é um fator que deu uma precisão à análise. Adicionado a este fato temos a não consideração do incremento de resistência devido à utilização de geodrenos.

Ao analisar-se o recalque primário, percebeu-se que a maior parte das camadas possuía um recalque de aproximadamente 1 metro, o que é comum para solos moles. Além disso, os valores de coeficiente de compressão maiores que o de recompressão confirmaram que se estava trabalhando com este tipo de solo. Então, é válida a isenção do cálculo do recalque imediato nas camadas analisadas. Devido ao tempo de recalque prolongado, a inserção de drenos fez-se necessária através de 155.028 metros para o trecho de 350 metros.

Este quantitativo para projetos é considerado normal, considerando-se esta extensão, porém para fins econômicos o custo é elevado. Por fim, diante do exposto, acredita-se que esta pesquisa é relevante para diversos projetos geotécnicos, pois apresenta soluções técnicas, tais como colocação de bermas, geogrelhas e drenos, que podem ser utilizadas para viabilizar obras sobre solos moles.

Para ter acesso à íntegra do trabalho acesse os anais do GeoCentro 2017.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *