Recuperação de talude em Campos do Jordão completa 18 anos

Foto de antes da recuperação da encosta

Antes da recuperação (Fotos: Vertical Green)

Da Huesker Brasil – Um caso de êxito de recuperação de talude aconteceu em 2000, na cidade de Campos do Jordão, em São Paulo. Neste ano, fortes chuvas na região Sudeste provocaram uma série de problemas geotécnicos em toda a região, com queda de barreiras e rupturas de taludes de variadas proporções. As regiões de serra foram as mais afetadas. Localizado na Serra da Mantiqueira, Campos do Jordão apresentou inúmeros problemas.

Um dos principais ocorreu na Colônia SAA, um condomínio de propriedades particulares localizadas ao longo do morro. No local, ocorreu uma ruptura de grandes dimensões, quase comprometendo as edificações da parte superior. Para recuperá-lo, a solução adotada foi a recomposição do talude em solo reforçado e face vegetada, por ser economicamente viável ao cliente e tecnicamente adequada às exigências da obra e às condições ambientais da região.

Depois da obra de recuperação

O projeto e a execução ficaram sob a responsabilidade da Vertical Green do Brasil, empresa especializada nesse tipo de obra. Para a recuperação da encosta com altura total de 25 metros, a empresa adotou o sistema Vertical Green Wall® no trecho inferior do talude, com inclinação 2V:1H, reconstruído em solo reforçado com geogrelha da Huesker e gabaríto metálico atirantado. No trecho superior, executou um aterro convencional com talude 1V:1H, adotando paliçadas simples e duplas para controle de erosão superficial. O acabamento vegetado da face foi obtido com a hidrossemeadura. Nessa obra foram instalados seis mil metros quadrados de geogrelha Fortrac 55/30-20 da Huesker.

Passados mais de oito anos, o talude recuperado permanece estável e totalmente integrado ao ambiente. Para o diretor técnico da Vertical Green do Brasil, Maurízio Sponga, as geogrelhas Huesker conferiram à obra segurança e a resistência. “Utilizamos nessa obra a tecnologia Vertical Green Wall®, com o reforço das geogrelhas Fortrac e a aplicação da hidrossemeadura. O diferencial é que essa tecnologia proporciona sustentabilidade à obra, com aproveitamento de material local, pequena área de interferência no entorno, canteiro reduzido e notável efeito paisagístico e ambiental”, avalia o diretor.

 

Outros casos da Huesker Brasil:
Trabalho compara Metodologias de Análise de Estabilidade de Aterro com Colunas Encamisadas com Geossintético
Caso de Obra – Aterro sobre Solo Mole na Interligação das rodovias Dutra e Carvalho Pinto
Vídeo: Rebaixamento da Linha Férrea de Maringá com muro Terrae

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.