Caso de Obra: Reforço de pavimento do aeroporto de Curitiba

Reforço de pavimento do aeroporto de Curitiba Reforço de pavimento do aeroporto de Curitiba Reforço de pavimento do aeroporto de CuritibaA Huesker Brasil apresenta na nona edição da Exposição Internacional de Produtos para Rodovias (Brasvias) soluções para reforço de pavimentação com as geogrelhas HaTelit e Fornit. Em seguida detalhamos a obra do Aeroporto Afonso Pena, de Curitiba (PR), no qual foi utilizado o HaTelit C.

Como parte do projeto de ampliação do terminal aeroportuário Afonso Pena em São José dos Pinhais (Aeroporto Internacional de Curitiba), houve necessidade de se implantar 100 mil m² de novas áreas de táxi, push-back e pátio de estacionamento de aeronaves, em frente às novas instalações do terminal. Durante a execução do pavimento, em fins do ano de 2012, aproximadamente 40 mil m² desta área apresentaram problemas de trincamento prematuro, em função da retração térmica da camada cimentada utilizada como base. O trincamento ficou visível já na camada de binder, previamente ao início da execução da camada superficial de concreto asfáltico. A figura apresenta uma ilustração esquemática do pavimento projetado para a pista de táxi e pátio, já com a incorporação do HaTelit C na estrutura do pavimento.

A Dalcon Engenharia, gerenciadora da obra, com base no estudo desenvolvido pela Winner Engenharia, propôs a utilização do HaTelit C 40/17 como elemento de reforço asfáltico para bloquear a reflexão das trincas para a camada asfáltica a ser executada. A solução foi imediatamente aceita pela Infraero e em janeiro de 2013 a Empo, Empresa Curitibana de Saneamento e Construção Civil, encarregada pela execução da obra, iniciou a instalação do HaTelit C.

A instalação ocorreu com grande agilidade, conforme previsto. Em seguida o concreto asfáltico foi executado em duas camadas de 5 cm cada.

A solução proposta apresentava benefícios importantes neste caso:

  • Comprovada eficácia como sistema antirreflexão de trincas de pavimentos;
  • Rápida e fácil instalação, não impactando no cronograma da obra que já se encontrava prejudicado neste momento.
  • Mínimo impacto na espessura do pavimento, não impondo nenhuma necessidade de alteração do greide projetado da pista, mesmo com a manutenção das espessuras originalmente projetadas de cada camada do pavimento.
  • Custo competitivo, viabilizando a incorporação no projeto deste como um item não previsto no projeto inicialmente.

Após 1 ano de implantação, o pavimento da nova área de táxi e pátio do Aeroporto Afonso Pena encontra-se em perfeita condição, sem nenhum sinal superficial de trinca de reflexão. E além do bom desempenho, neste caso em particular, a solução mostrou-se também muito adequada à necessidade de se desenvolver rapidamente uma remediação eficaz para um problema ocorrido durante a obra em andamento, solução esta que deveria apresentar baixo impacto no custo, cronograma e projeto. HaTelit C, seguramente, cumpriu todos estes requisitos no projeto de ampliação da área de táxi e pátio do Aeroporto Afonso Pena.