Pesquisa avalia a resistência a tração na flexão de camadas asfálticas com geossintéticos

Geogrelha aplicada no reforço de pavimentos

Geogrelha aplicada no reforço de pavimentos

O mestrando Leonardo Lacerda Fonseca, do Departamento de Geotecnia e Transportes da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), apresentou no Cobramseg 2016 uma “Avaliação da resistência a tração na flexão de camadas asfálticas reforçadas com geossintéticos”. O trabalho teve como objetivo avaliar o comportamento de sistemas compostos por uma mistura asfáltica densa, tipo CBUQ faixa “C” (norma DNIT 031/2006 ES), reforçados ou não com um geotêxtil e um geocomposto.

Resultados

Segundo o estudo, o resultado das ações do tráfego e do clima sobre a estrutura de pavimento é a sua degradação, o que reflete na queda da qualidade do desempenho oferecido ao usuário. Dentre as várias soluções de restauração de pavimentos asfálticos destacam-se as que utilizam materiais geossintéticos como elemento de reforço ou anti-propagação de trincas. Nestas soluções são usados geogrelhas, geotêxteis e geocompostos.

Aparato para o ensaio de tração na flexão

A pesquisa também salienta que as soluções tradicionais para implantação e restauração de pavimentos necessitam de grandes quantidades de recursos minerais naturais, dentre os quais, os materiais pétreos, que por vezes são os mais onerosos ao empreendimento. Com a utilização adequada dos geossintéticos, cabe aqui destacar a possibilidade de redução de espessuras de camadas da estrutura do pavimento e, também, para alguns casos, tornar viável o aproveitamento da estrutura existente reduzindo, consequentemente, a necessidade de demolições e bota-foras.

A avaliação foi realizada por meio de ensaios em laboratório de tração na flexão em vigas prismáticas, moldadas com a variação de taxas de emulsão asfáltica utilizada na pintura de ligação. Os resultados mostraram que o reforço com geossintético alterou significativamente as deflexões registradas quando do carregamento das vigas. A introdução do geossintético aumentou a resistência a tração na flexão e, a forma de propagação de trincas é dependente do tipo de reforço utilizado.

Para ter acesso à integra do trabalho clique aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *