Seminário Mulheres Geotécnicas teve palestra sobre Geossintéticos na Mineração

A quarta edição do seminário Mulheres Geotécnicas realizada em 21 de março pelo Núcleo Minas Gerais da ABMS contou com 70 participantes puderam prestigiar as palestras ministradas por duas profissionais de renome em suas áreas. O assunto da primeira palestra foi “Geossintéticos na Mineração – A prática, do projeto à execução”, proferida pela engenheira Paula de Mello Martins, especializada em projetos de estruturas geotécnicas para mineração.

Fernando Saliba, vice-presidente do Núcleo MG da ABMS; Regina Moretti, palestrante; Gustavo Vianna, presidente do Núcleo; e Paula de Mello Martins, palestrante (Fonte: ABMS-MG)

“O mais interessante dessa edição foi a grande presença de não associados”, declara o presidente do Núcleo Minas Gerais, o engenheiro Gustavo Vianna, sobre o evento realizado no Plenário do CREA-MG, em Belo Horizonte. “Quase a metade do público inscrito era de profissionais sem vínculo direto com a ABMS. Esse é um bom indicativo de que o Núcleo está cumprindo bem o seu papel de disseminar conhecimento e atrair possíveis novos colegas à Associação”, explica Vianna.

Paula Martins falou sobre a aplicação prática de geossintéticos, mostrando que apesar de estes produtos e as ferramentas de aplicação existirem há muito tempo, ainda pairam muitas incertezas a respeito do tema. “No geral, quis passar a mensagem de que os profissionais precisam ter conhecimento dos métodos de cálculo, de dimensionamento de geossintéticos”, explica. “Vejo que é comum profissionais não aplicarem ou evitarem a técnica, ou por não terem boas experiências com esses produtos ou por não terem conhecimento sobre os métodos de cálculo. Mas procuro enfatizar, sempre, que existem métodos de cálculo e eles estão sempre sendo aprimorados”.

Em seguida, a engenheira Maria Regina Moretti, especializada em barragens e segurança de barragens, falou sobre “Liquefação – Evolução do conhecimento e metodologias de avaliação”. “Uma vez que o público do evento era composto basicamente por geotécnicos, mas não necessariamente todos voltados à área de barragens, optei por levar um histórico do tema, abordando como começaram os estudos sobre o assunto, quem foram os principais pesquisadores, como as descobertas foram surgindo, o que temos de conhecimento hoje, quais foram as metodologias utilizadas para avaliar esse fenômeno antes e como é feito atualmente. E fiquei muito satisfeita ao perceber que o público se interessou tanto pelo tema”, afirma a engenheira.

As palestrantes elogiaram a iniciativa de valorizar a atuação feminina na área. “Em uma área de atuação majoritariamente composta por homens, ainda que mais mulheres estejam se voltando para a geotecnia, ser reconhecida pelo meu trabalho é uma honra. E foi muito gentil por parte da ABMS me fazer o convite para palestrar aos colegas mineiros”, explicou Maria Regina Moretti.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *