Caso de Obra – Drenagem do Maracanã conta com sistema de drenagem com geotêxtil

013-Bidim-Maracana-Tricheiras

Vista da trincheira drenante, revestida com geotêxtil nãotecido (foto do www.maracanaonline.com.br)

Da Mexichem Bidim – O Estádio do Maracanã recebe na noite de hoje a abertura dos Jogos Olímpicos de Verão do Rio de Janeiro e será um dos principais palcos da grande festa do Esporte. Para celebrar, selecionamos este caso de obra da Mexichem Bidim, referente às obras do sistema de drenagem do gramado deste estádio icônico, realizada em 2013, para receber partidas da Copa das Confederações de 2013 e da Copa Mundo de 2014.

Foi usado na obra a manta geotêxtil nãotecido de filamentos contínuos de poliéster com resistência à tração longitudinal mínima de 14 kN/m e tração transversal mínima de 12 kN/m. A manta geotêxtil Bidim foi instalada nas trincheiras drenantes do gramado do Estádio Jornalista Mário Filho, como elemento separador e filtrante, evitando a passagem das partículas sólidas para o sistema drenante que causaria a sua colmatação. Ao mesmo tempo, permite a livre passagem da água, melhorando o desempenho do conjunto.

Vista geral do campo com a trincheira e colchão drenante

Desta forma, o geotêxtil deu eficiência ao sistema drenante do campo de futebol, evitando assim o acúmulo de água superficial em épocas de chuva, que prejudica os jogos e o crescimento do gramado. Além disso, as características locais inviabilizava a instalação da drenagem à vácuo recomendada pela FIFA.

O principal fator que inviabilizou o uso da drenagem à vácuo foi o nível do lençol freático, que se encontrava a 90 centímetros abaixo do gramado, sendo que o dispositivo exigia a instalação a 1,5 metro de profundidade. Este fator aumentaria mais ainda o custo da obra. Devido a este problema, o sistema de drenagem escolhido foi a espinha de peixe, em que consiste na implantação de trincheiras drenantes de brita revestidas com geotêxtil não-tecido.

Embora seja uma solução tradicional, a sua capacidade de vazão foi potencializada, com capacidade de absorver 230 mililitros de chuva por hora, que é o dobro dos meses mais chuvosos. Esta potencialização foi possível com a redução da distância entre as trincheiras e com a duplicação do diâmetro dos tubos drenos.

013-Bidim-Maracana-Prontos

Maracanã pronto para a festa

Após a implantação das trincheiras drenantes em espinha de peixe, foi lançada uma nova camada de brita, chamada de colchão drenante, e uma camada de 30 centímetros de solo vegetal, usada como adubo para o gramado.

Entre as vantagens na utilização do geotêxtil nesta obra estão a redução no tempo de execução do sistema drenante, devido à facilidade de execução; a redução da quantidade de material granular a ser utilizado; prevenção do carreamento de partículas para o interior do sistema drenante; rápido escoamento da água; possibilidade de execução, independente do nível do lençol freático; e aumento da vida útil da estrutura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *